Financeiro

Os 7 maiores erros de gestão financeira que devem ser evitados!

erros de gestão financeira

Quem nunca ouviu alguém dizer “é errando que se aprende”? O detalhe é que, no mundo dos negócios, alguns erros podem ser o divisor de águas entre o sucesso ou o fracasso. O melhor caminho é conhecer as falhas mais comuns e estar pronto para solucioná-las.

Como o sucesso está diretamente ligado aos resultados da empresa, quem oferece um produto de qualidade e ainda assim está em dificuldades financeiras precisa ter cuidado. O mais provável é ter adotado um modelo financeiro cheio de vícios. Fizemos um levantamento dos erros mais comuns de gestão financeira e apontamos algumas alternativas para colocar a sua empresa em ordem!

7 erros mais comuns na gestão financeira

1. Fluxo de caixa aproximado

Isso acontece, principalmente, nas empresas onde o dono faz tudo e pode acabar não tendo a noção exata de nada. A gestão financeira é algo exato e não permite achismos. É preciso saber exatamente o saldo de caixa, o valor das mercadorias em estoque, contas a vencer etc. Só assim o gestor consegue tomar decisões mais acertadas. O mercado oferece soluções que facilitam a gestão financeira da empresa, concentrando todos os dados estratégicos em um único sistema.

2. Preço real x preço ideal

Muitos empresários colocam o futuro da empresa em xeque ao cometerem erros na formação de preço dos seus produtos. Ter um preço para ganhar dos seus concorrentes não é necessariamente a melhor saída. É preciso considerar os custos básicos e a margem de lucro esperada. Não adianta vender muito e as contas não fecharem no fim do mês.

3. Não saber o valor da própria empresa

Isso pode parecer tolice, mas muito empresário não saberia o que responder sobre quanto vale sua empresa. Muitos sabem dizer quanto é o faturamento anual, mas o valor patrimonial corresponde à soma de todos os bens e serviços oferecidos. Sem a resposta, qualquer avaliação de crescimento fica comprometida.

4. Despesas fixas em segundo plano

Toda empresa tem um custo mínimo para funcionar. São as chamadas despesas fixas, como aluguel, água, luz, impostos etc. O planejamento financeiro deve prever de onde virão os recursos para arcar com essas despesas – que precisam ser pagas –, independentemente do faturamento. Sem capital de giro, você pode ter dificuldades para honrar compromissos básicos.

5. Folha de pagamento impagável

Ter e manter uma equipe de alto rendimento é crucial para o sucesso do seu negócio. E isso custa dinheiro. Os custos com a folha de pagamento devem estar previstos dentro da estratégia financeira da empresa, levando em conta que o valor varia com o tipo de produto ou de serviço.

Além disso, é preciso ter uma reserva para custear toda e qualquer eventualidade, como demissões, rescisões de contratos, 13º salários, demais benefícios — sempre se baseando nos resultados obtidos após medir os riscos dessas operações.

6. A conta da empresa não é sua

Um erro muito comum de pequenos empresários é misturar os gastos pessoais com os da empresa. Dentro da gestão financeira, o certo é estimar um valor fixo para os sócios, o chamado pró-labore. Esse valor entra na programação de retiradas e não atrapalha o caixa. Vale lembrar que parte do lucro precisa ser reinvestida para garantir a expansão do negócio.

7. Pensar muito e realizar pouco

Montar um negócio e lucrar milhões em pouco tempo é o sonho de qualquer empreendedor. Entretanto, é sempre bom lembrar que a vontade precisa vir acompanhada de ação. Infelizmente, o mercado está cheio de pessoas com boas ideias que não conseguem colocar nada em prática. É preciso ter foco e concentrar-se no futuro do seu negócio, em primeiro lugar. O lucro é consequência.

Seguindo essas dicas, com certeza será possível melhorar a gestão financeira da sua empresa. Para continuar bem informado, assine nossa newsletter.