4 erros que você não pode cometer na gestão de cobrança

gestão de cobrança

gestão de cobrança é a principal responsável por recuperar créditos da empresa. Por meio do contato com os inadimplentes, é possível retomar ao menos parte do montante que estava suspenso.

Dentro de um cenário de ocasional crise econômica, é ainda mais importante manter uma gestão de qualidade daquelas cobranças. Isso garante que seu negócio tenha um fluxo de caixa otimizado; além de evitar o desperdício de oportunidades, devido à falta de recursos.

Porém, algumas falhas podem impedir que essa etapa aconteça da maneira desejada. Veja 4 erros nessa gestão, os quais você não deve cometer, e aprenda a evitá-los:

1. Não ter estratégias de gestão de cobrança

Para trazer bons resultados, a gestão de cobrança precisa ser feita de maneira estruturada. Se não há um padrão a respeito de como a tarefa deve acontecer, oportunidades diversas são desperdiçadas. Uma dívida, por exemplo, pode levar tempo demais para ser cobrada, o que prejudica o negócio.

A melhor forma de lidar com essa questão, portanto, é definir previamente uma estratégia de atuação. Determine como, quando e onde a sua equipe deve agir na busca de recuperar créditos, de modo a tornar tudo otimizado.

 

Confira também o nosso eBook – Guia prático: o passo a passo para começar a emitir boletos com registro

 

2. Desconhecer as informações do cliente

Só é possível cobrar um cliente se você souber, efetivamente, como entrar em contato com ele, o valor devido e outras questões relevantes. Com um banco de dados desatualizado ou incompleto, a tarefa torna-se, naturalmente, impossível ou mais difícil de ser realizada.

Esse erro deve ser evitado tanto quanto possível, de modo que todas as informações sejam conhecidas previamente. Colete o máximo de dados a respeito do cliente e mantenha-os sempre atualizados, como o email e telefone.

Isso poupa o desperdício de tempo e de esforços, além de aumentar a assertividade das ações de cobrança.

3. Analisar apenas o valor recuperado

O valor recuperado pela campanha de cobrança é um dos indicadores mais importantes. Ele dá uma visão completa de quanto retornou para o caixa da empresa devido à recuperação de valores.

Mas vale dizer que analisar somente essa métrica é um erro que deve ser combatido. Se as dívidas eram muito grandes, é natural que o valor recuperado seja maior. Não é por causa disso, entretanto, que a campanha atingiu as expectativas pontuais.

É conveniente pensar nas taxas de ocupação dos agentes, assim como o tempo médio para conseguir a recuperação. Além disso, meça a taxa de contato com a pessoa certa (CPC), assim como os custos em geral. Dessa forma, é possível ter uma visão mais clara.

4. Não automatizar processos

A gestão de cobrança não precisa e não deve ser uma tarefa exclusivamente mecânica. Realizar processos de maneira totalmente manual leva à perda de tempo, de oportunidades e de dinheiro.

Já que estamos imersos em uma era digital, pode-se dizer que é um grande erro abrir mão de associar a tecnologia àquela tarefa. O ideal é buscar a automação dessas etapas, tanto quanto possível.

O uso de uma integração bancária por meio da tecnologia, por exemplo, facilita a aquisição de dados e a execução da estratégia. Torna-se mais fácil entrar em contato com a pessoa certa e, também, recuperar o crédito.

Ao conhecer esses erros na gestão de cobrança, fica mais fácil evitá-los e conquistar uma etapa mais fluida e eficiente.