5 dicas para otimizar o controle financeiro da empresa

dicas para otimizar o controle financeiro da empresa

Um dos grandes desafios dos gestores de médias e grandes empresas é manter um controle financeiro eficaz e seguro. As estratégias devem ser traçadas considerando, por exemplo, as relações e indicadores relacionados a fornecedores, colaboradores e estoques.

É preciso salientar que, antes de otimizar o controle das finanças corporativas, é necessário mensurá-las, de modo que as decisões mais acertadas sejam tomadas. Veja, a seguir, 5 dicas de como realizar esse controle e manter o setor financeiro da empresa sempre organizado e saudável.

1. Conhecimento dos custos

Analisando diariamente os números e indicativos, é possível que você imagine conhecer todos os custos do negócio. Porém, existem custos não recorrentes que podem passar despercebidos, não sendo considerados em relatórios e análises financeiras. Bons exemplos são as despesas com consultoria jurídica, licenças ambientais e projetos de expansão criados ao longo do ano.

2. Clareza nas cobranças

Ter uma previsibilidade de pagamentos garante um melhor manejo dos recursos. Para tanto, é preciso saber exatamente quanto e quando a empresa receberá valores em aberto. Apesar de ser impossível prever possíveis atrasos, é possível destacar e enfatizar os prazos para pagamento.

Uma opção moderna e inovadora é utilizar sistemas automatizados que enviem mensagens via e-mail ou SMS informando a proximidade do vencimento dos boletos ou faturas ao cliente. Outra possibilidade é conceder descontos para pagamentos pontuais ou adiantados.

3. Definição de prioridades

Você sabe que o principal objetivo da sua empresa é o aumento das vendas e, consequentemente, elevação do lucro. Porém, é preciso definir quais são as prioridades a pequeno, médio e longo prazo.

Se você pensa em melhorar o posicionamento da marca no mercado, investir em campanhas de marketing na web deve ser uma prioridade. Caso o desejo seja expandir as unidades físicas do negócio, é interessante considerar a adoção de um sistema de franquias como prioridade. O mesmo vale para quem almeja aumentar ainda mais as vendas. Neste caso, investir em campanhas promocionais que atraiam o público deve ser listado como plano a curto prazo.

4. Pontualidade no pagamento de taxas e impostos

Além de manter os pagamentos dos fornecedores em dia, você deve atentar-se para o cumprimento dos prazos de vencimento dos impostos e taxas. Em caso de atrasos, a empresa deverá arcar com multas e juros que, dependendo do órgão, podem ser de valor considerável.

Uma boa maneira de organizar esses pagamentos é manter os lançamentos das despesas em sistemas, incluindo vencimento e prazos-limite para quitação sem incidência de juros. Pode parecer que não, mas, quando acumulados, os pequenos montantes ganham destaque no orçamento.

5. Corte de pequenos gastos

Assim como os juros e multas oriundos de atrasos nos pagamentos, os pequenos gastos diários também são grandes vilões que impactam o controle financeiro da empresa. Em vez de imprimir relatórios – o que gera gasto desnecessário de papel, tinta e energia elétrica –, é interessante começar a manter os dados em sistemas que possam ser acessados via computador ou smartphone.

Devem ser considerados, para realizar a redução de custos: compra de insumos em caráter emergencial (compras emergenciais tendem a custar mais do que compras planejadas e orçadas), uso de copos plásticos (considere a ideia de cada colaborador possuir a sua própria caneca para água e café) e cafeteiras que utilizam cápsulas (o preparo tradicional é mais econômico).

Mesmo sendo uma tarefa que requer muita análise, fazer um planejamento e controle financeiro da sua empresa é o passo principal para manter a boa saúde do negócio. Compartilhe o conteúdo nas redes sociais e auxilie outros gestores!