Otimize a relação com seus fornecedores e qualifique suas operações de Logística Inbound, com organização e agilidade a partir da automatização de processos relacionados com recebimento de carga.

Acompanhe indicadores de desempenho logístico e eleve o nível de suas operações de Logística Outbound com a integração de processos e automatização da troca de informações para maior visibilidade e eficiência de sua gestão.

Obtenha dados de suas vendas no varejo e de distribuidores para aumentar vendas, reduzir rupturas e perdas com informações compartilhadas para estruturar seus processos e auxiliar seu gerenciamento.

Aumente a sua demanda de transportes e seja encontrado por Embarcadores de todo o país.

Facilite a comunicação entre sistemas de gestão e diferentes bancos por meio da transferência de arquivos de forma ágil, íntegra e segura.

    Um sistema capaz de atender os processos de negócios de seus clientes empresariais sem necessitar o investimento em desenvolvimento de sistemas internos.

    O PagPlan é uma solução que permite o pagamento das principais contas de concessionárias (como água, luz, gás, etc.) e DETRANs: utilizando o cartão de crédito como meio de pagamento.

      O EDI Business é uma solução altamente customizável para gestão operacional e estratégica de arquivos.

      O EDI Enterprise oferece uma infinidade de recursos de intercâmbio de informações baseado em um conjunto de regras de envio e recepção, múltiplos protocolos de comunicação, além de topologia altamente flexível.

      Inovação e tecnologia aplicados a emissão, recebimento e armazenamento de documentos fiscais eletrônicos.

      Tecnologia para conectar transportadoras e embarcadores com inteligência e compliance.

      Blog

      Logística Outbound

      4 benefícios da armazenagem estratégica em centros de distribuição

      4 anos atrás - por:

      A armazenagem estratégica consiste em ações de gerenciamento para otimizar processos logísticos. Os centros de distribuição, por sua vez, auxiliam no atendimento de mercados muitas vezes distantes do foco produtivo e permitem que a empresa ofereça aos clientes um serviço mais eficiente, principalmente no que diz respeito aos prazos de entrega.

      Para que essa armazenagem seja efetiva é necessário classificar a produção quanto à demanda de mercado, à validade e à sazonalidade, além de escolher a melhor forma de transporte (com menor índice de gargalos de infraestrutura para distribuir a produção) e se apoderar de ferramentas que agilizem a gestão desses processos.

      Neste texto mostraremos os benefícios da armazenagem estratégica e como ela pode potencializar o processo logístico dentro dos centros de distribuição. Porém, antes é preciso entender um pouco mais sobre os centros de distribuição, os principais tipos de CDs, suas funções e características.

      Confira!

      Funções desempenhadas nos centros de distribuição

      Após a chegada da mercadoria no centro de distribuição é feita sua alocação de forma a reduzir os custos de armazenagem. Nessa fase do processo, é importante utilizar tecnologias por meio de sistemas de gerenciamento de armazéns, veículos automatizados, equipamentos de estocagem automática e coletores de dados, como leitores de códigos de barra e QR code.

      Descrevemos as principais fases de movimentação da mercadoria dentro dos CDs conforme a seguinte sequência:

      Recebimento

      É a chegada do produto no centro de distribuição. Momento em que os profissionais verificam a quantidade e a qualidade dos itens.

      Movimentação

      Essa etapa é considerada uma das mais complexas: consiste no manuseio dos produtos dentro do setor e demanda cuidados especiais. Afinal, envolve diversas máquinas e equipamentos — como empilhadeiras, por exemplo.

      Armazenamento

      O armazenamento consiste na guarda temporária dos produtos. Para realizar a armazenagem estratégica, a guarda deve ser gerenciada conforme a oferta e a demanda de cada item: nesse momento é importante que sejam utilizados métodos de valoração de estoque como FIFO (first in, first out), FEFO (first expire, first out) ou LIFO (last in, first out).

      Os métodos devem ser utilizados de acordo com a estratégia adotada pela empresa: FIFO é o único método aceito para valorar estoque junto ao Fisco. O FEFO, por sua vez, é utilizado em estoques de produtos altamente perecíveis, ao passo que o LIFO é usado em produtos de demandas sazonais, como itens de moda, por exemplo.

      Separação ou picking

      É a retirada dos produtos da armazenagem para reuni-los de forma a facilitar a próxima etapa. Requer muito cuidado, já que o devido manuseio pode ser crucial na manutenção de suas características.

      Expedição

      Etapa em que o material é preparado, pesado e encaminhado para transporte, de acordo com características e local de entrega. Para que ela seja eficiente é necessário analisar várias possibilidades, como a localização do centro de distribuição, a fim de facilitar tanto a carga quanto a descarga, além do modal de transporte escolhido e o prazo de entrega combinado — tudo isso sem gerar custos extras para a organização.

      Tipos de centros de distribuição

      Estruturas escalonadas

      São assim classificadas quando a empresa possui um ou mais armazéns centrais e um conjunto de centros de distribuição próximos das áreas de seu mercado de atuação. Dessa forma, é possível atender rapidamente às demandas dos clientes de determinada área. Além disso, essa estratégia também pode ser usada em cargas fracionadas.

      A dificuldade desse sistema está relacionada ao cálculo das quantidades de estoque — estas devem ser corretamente avaliadas para atender com precisão os níveis de demanda.

      A incerteza provocada por essa regionalização e descentralização da gestão de quantidades, sujeita a empresa a faltas frequentes de bens, à ocorrência constante de incompletude de pedidos e à obsolescência devido à antecipação de pedidos. Essas estruturas escalonadas ainda se dividem em:

      Transit Point

      Nesse caso não há manutenção de estoques: os produtos recebidos já têm destinos definidos e, por isso, são imediatamente expedidos para entrega ao cliente.

      Embora as suas operações sejam dependentes da existência de volume de carga suficiente para viabilizar o transporte — geralmente feito com frequência diária —, as entregas podem ser feitas de forma programada, com os pedidos sendo atendidos em determinados dias da semana.

      Cross-docking

      São exemplos dessa modalidade as cadeias de varejo: carregamentos chegam de vários fornecedores, ocorre o processo de picking e os produtos são posteriormente movimentados para a área de expedição e carregados nos veículos que farão a entrega aos clientes.

      É um processo que demanda um alto nível de coordenação e controle entre os participantes das operações. Isso é possível com o auxílio de sistemas de informação — como softwares de gerenciamento de armazenagem (WMS) — e ferramentas de leitura de código de barras, por exemplo.

      Por esse motivo, é necessário que seja feito um planejamento e que a empresa cumpra rigorosamente os processos para não ocorrer estocagem compulsória de produtos ou que os veículos tenham que esperar até que a carga seja completada.

      Estruturas diretas

      Quando os produtos são expedidos dos CDs diretamente aos clientes. São mais simples, mas geram altos custos de manutenção e de transporte no atendimento às longas distâncias.

      Benefícios da armazenagem estratégica em centros de distribuição

      1. Rápido atendimento da demanda

      A rapidez no atendimento é imprescindível para alcançar níveis elevados de satisfação do cliente (customer success). Com a armazenagem estratégica, a entrega final é feita de forma consolidada por um ou mais fornecedores, em um único carregamento de pedido.

      2. Redução de custo

      A movimentação de cargas fracionadas por grandes distâncias geram custos logísticos elevados. Carregamentos únicos — inclusive com distribuição compartilhada, como no caso do cross-docking— reduzem o valor do frete à empresa e ao consumidor, além de diminuir os custos de manutenção de estoque.

      3. Gestão facilitada

      A organização estrutural pode ser feita de forma simples — já que não são executadas atividades de estocagem e picking. Se o custo de manutenção diminui, consequentemente são reduzidos também os custos de transporte.

      4. Diminuição da perda de produtos

      Com um planejamento e uma armazenagem estratégica eficiente, há diminuição da movimentação interna nos CDs e consequente redução da perda de produtos, muitas vezes frágeis. Estes geralmente são perdidos devido à:

      • excessiva movimentação da carga, tantos nos centros de distribuição quanto nos veículos;
      • manutenção de grandes estoques: aumenta a probabilidade do vencimento dos prazos de validade em casos de produtos perecíveis.

      Para alcançar resultados positivos é imprescindível que na armazenagem estratégica seja definido um posicionamento de redução de custos de manutenção de estoques e melhoramento dos prazos e da qualidade das entregas. A eficiência depende da estrutura, da política de trabalho e de características dos produtos de cada empresa.

      Para continuar sempre por dentro das novidades e crescer cada vez mais com sua empresa, siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook , Linkedin) para acompanhar todo o nosso conteúdo!

      Por:
      eSales
      do autor

      Comentários sobre este post