O que é levado em conta no cálculo do frete dos Correios?

O que é levado em conta no cálculo do frete dos Correios?

Para quem faz compras pela internet, é muito natural o uso do simulador para calcular o frete dos produtos adquiridos. Boa parte do envio das compras em lojas virtuais e até de lojas físicas que usam internet ou televendas é realizada pelos Correios.

Para entender melhor esses valores, que podem ser altos, baixos ou razoáveis, será necessário saber o que é levado em conta no cálculo do frete dos Correios. Descubra como essa estimativa é efetuada!

As modalidades de envio oferecidas pelos Correios

Os Correios oferecem modalidades de envio com diferenças que envolvem segurança e agilidade na entrega.

As duas modalidades mais conhecidas são SEDEX (Serviço de Encomenda Expressa Nacional) e PAC (Prático, Acessível e Confiável).

Quando se fala em entrega expressa, está se referindo ao SEDEX.

No entanto, existem outras modalidades de envio e entrega que são, na verdade, subtipos do SEDEX:

  • e-SEDEX (serviço expresso exclusivo para compras feitas no e-commerce, recebendo tratamento prioritário e entrega em domicílio; além disso, possui custo menor que o SEDEX);
  • SEDEX 10 (serviço expresso com garantia de entrega da mercadoria até as 10 horas do dia seguinte ao da postagem);
  • SEDEX 12 (serviço expresso com garantias de entrega da mercadoria até as 12 horas do dia seguinte ao da postagem);
  • SEDEX Hoje (serviço expresso com garantia de entrega da mercadoria no mesmo dia em que foi feita a postagem).

Existe também a modalidade Impresso, mais barata que todas outras e destinada a produtos como livros, revistas, catálogos, jornais, publicações periódicas, alternativos culturais e outras coisas similares. O Impresso pode ser Normal ou Urgente.

As variáveis envolvidas no cálculo do frete dos Correios

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos considera, no envio de mercadorias, a relação peso x espaço que o produto ocupa. Assim, percebe-se que apenas o peso do produto não é um critério suficiente, é necessário considerar também outra medida: o volume.

Desde 2011, os Correios usam essa metodologia para precificar o serviço de transporte. Esse método é usado no transporte aéreo brasileiro e de outras nações.

A fórmula usada para definir o peso cúbico das mercadorias é a seguinte: C x L x A / 6.000, em que:

  • C = comprimento em centímetros;
  • L = largura em centímetros;
  • A = altura em centímetros;
  • 6.000 = coeficiente resultante da relação entre peso e volume mais apropriada e mais equilibrada em relação à cubagem de aeronaves (indicada pela IATA, instituição internacional que reúne todas as empresas aéreas).

A ferramenta webservice

Para quem tem comércio eletrônico, a ferramenta webservice permite o cálculo do frete dos Correios de forma automática.

Além de calcular o preço do frete, ela calcula os prazos de entrega da mercadoria. Dessa maneira, o cliente tem uma noção mais precisa de quanto tempo deverá esperar para receber a mercadoria em sua casa.

Clientes que não têm contrato com os Correios podem usar o webservice, mas os preços disponíveis são os praticados no balcão das agências.

As condições em relação ao peso da encomenda

Se a mercadoria tiver até 10 kg de peso cúbico, considera-se apenas o peso físico, ou peso real (o volume, ou peso cúbico, não é levado em conta).

Caso a mercadoria tenha peso cúbico maior que 10 kg, será considerado o maior valor quando se compararem os resultados entre o peso real (em kg) e o peso cúbico (C x L x A / 6.000).

Outro ponto a considerar é o limite de peso que pode ser enviado pelos Correios seguindo essa regra. Esse limite é de até 30 kg cúbicos. Também existem limites quanto à soma entre as três dimensões: comprimento, largura e altura: C + L + A < 200 centímetros (2 metros).

A partir de 30 kg cúbicos e 2 metros, os Correios cobram uma taxa adicional ou dividem a mercadoria em lotes, se possível. Mesmo dividido, o envio pode até sair mais caro para o cliente e, portanto, é necessário fazer as contas.

Muitas transportadoras podem levar mercadorias de mais peso com mais eficiência e a custos mais baixos. É pertinente considerar essas possibilidades a fim de não onerar os clientes e nem prejudicar a empresa.

Alguns exemplos de cálculo do frete

Para compreender melhor a forma como o cálculo do frete dos Correios é feito, vale a pena considerar alguns exemplos.

Exemplo 1

Um pacote possui as seguintes dimensões: 60 x 50 x 10, e tem um peso real de 9 kg.

Calculando o peso cúbico, temos que: 60 x 50 x 10 / 6.000 = 5 kg cúbicos.

5 kg cúbicos < 10 kg cúbicos.

Mais uma vez, predomina o peso físico do pacote, ou seja, o peso de 9 kg.

Exemplo 2

Uma encomenda apresenta as dimensões: largura de 30 centímetros, comprimento de 45 centímetros e altura de 50 centímetros. O peso real dessa encomenda é de 20 kg.

Aplicando a fórmula: 45 x 30 x 50 / 6.000 = 11,25 kg cúbicos.

Nesse caso, a situação muda, pois 11,25 kg cúbicos > 10 kg cúbicos.

Faz-se, então, a comparação entre o peso cúbico e o peso para escolher o maior entre ambos:

  • peso cúbico = 11,25 kg;
  • peso real = 20 kg.

Como o peso real da encomenda é maior que o peso cúbico, ele é que será considerado para o cálculo do frete.

Exemplo 3

Uma encomenda tem peso real de 8 kg e suas dimensões são:

  • L = 30 cm;
  • C = 57 cm;
  • A = 40 cm.

30 x 57 x 40 / 6.000 = 11,4 kg cúbicos.

11,4 kg cúbicos > 10 kg cúbicos.

Fazendo a comparação entre o peso real e o peso cúbico: 11,4 kg > 8 kg.

Nesse caso, será usado o peso cúbico da encomenda.

Exemplo 4

O peso cúbico de um pacote é de 10 kg e seu peso real é de 7,5 kg.

A regra é clara e diz que, se o peso cúbico for menor ou igual a 10, considera-se imediatamente o peso físico, que nesse caso é de 7,5 kg.

Entendeu como fazer o cálculo do frete dos Correios? Aproveite para compartilhar o post nas redes sociais e ajudar outros leitores!