KPI: 6 indicadores fundamentais para a análise financeira da empresa

A expressão Key Performance Indicators, ou simplesmente KPI, faz parte do cotidiano de muitas empresas que utilizam essa ferramenta para medir o seu desempenho. A sua versatilidade permite que essa metodologia seja aplicada a diversas áreas e processos.

O seu propósito é fornecer visibilidade sobre os resultados da empresa e compará-los às metas organizacionais. Desse modo, o gestor tem condições de identificar gargalos na operação e propor soluções que resultem em seu aprimoramento.

Quando desenvolvido corretamente, os indicadores de performance contribuem para que o negócio alcance o seu potencial e seja bem-sucedido. Continue lendo para saber mais sobre o KPI e conhecer 6 indicadores fundamentais para a análise financeira da sua empresa. Confira!

Qual é o conceito de KPI?

A sigla KPI pode ser traduzida como Indicadores de Performance Chave, ou seja, são referentes a processos estratégicos e relevantes para a produtividade da organização. Isso quer dizer que nem todas as atividades precisam ser medidas e acompanhadas de perto.

Mas como decidir quais atividades merecem atenção?

Uma empresa que não mede o seu desempenho não é capaz de crescer e evoluir com o tempo. Portanto, os indicadores devem partir dos objetivos organizacionais para, então, selecionar as atividades mais importantes.

Se o objetivo de uma indústria é aumentar o seu volume de vendas em um período de 12 meses, faz sentido que o indicador de volume de produção seja avaliado periodicamente.

Por outro lado, se o seu interesse é aumentar a lucratividade, a melhor alternativa é avaliar os custos para identificar fontes viáveis de economia ou concentrar o foco na comercialização de produtos de maior valor agregado.

Como interpretar os relatórios financeiros?

O objetivo da criação de um negócio é maximizar o seu valor no mercado fornecendo, assim, maiores ganhos para seus associados, investidores, colaboradores e a sociedade. Porém, para atingir esse resultado é necessário:

  • registrar todas as transações da empresa;
  • consolidar os dados em ferramentas informatizadas; e
  • gerar relatórios de fácil compreensão.

Desse modo, é possível viabilizar a tomada de decisões, analisar o risco do negócio e identificar oportunidades de melhoria quanto à gestão dos recursos financeiros. Como o planejamento de todas as ações de um negócio deve ser avaliado sob o ponto de vista das finanças, é preciso fazer uso de indicadores.

KPI: como avaliar o desempenho financeiro?

No âmbito financeiro, a avaliação dos indicadores financeiros busca identificar, além da performance, o retorno sobre o investimento, a participação dos custos sobre a lucratividade e a capacidade de arcar com as obrigações futuras.

Essas informações têm origem em diversas demonstrações contábeis e financeiras, como:

  • o balanço patrimonial (BP);
  • a demonstração dos fluxos de caixa (DFC);
  • a demonstração de resultado do exercício (DRE); e
  • a demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados (DLPA).

Portanto, é importante disponibilizar o maior número de dados possível para criar um retrato preciso da situação atual e uma estimativa do futuro.

1. Índice de rentabilidade

Em muitas situações os termos rentabilidade e lucratividade têm os seus conceitos confundidos e são utilizados como sinônimos. No entanto, isso não poderia estar mais longe da verdade. Embora os dois tenham relação com os ganhos recebidos, a rentabilidade é o resultado obtido ao comparar o lucro com o volume de investimento realizado.

Esse é um cálculo importante tanto no momento de estabelecer um negócio como quando há necessidade de injetar novo capital para expandir a operação. Assim, os investidores ou empresários podem estimar o seu retorno.

O mesmo ocorre quando há necessidade de consultar o mercado para solicitar empréstimos. Quanto maior for o potencial de rentabilidade, maior será a capacidade de a empresa quitar o financiamento.

2. Índice de lucratividade

Já a lucratividade é o indicador que busca representar qual foi o lucro obtido com base na entrada de receita provenientes da venda de produtos. Esse é um cálculo importante que leva em consideração:

3. Índice de necessidade de capital de giro

Como sabemos, o capital de giro representa o valor total de que a empresa precisa para manter a sua operação em funcionamento, mesmo que não haja entrada de receitas. Imagine que esse é um valor para que a companhia possa funcionar no vermelho, mas, ainda assim, ser capaz de arcar com as obrigações da folha de pagamento e aquisição de insumos.

A presença do capital de giro é visível com clareza no momento da abertura de uma nova empresa, na qual o capital acumulado pelos sócios é aplicado diretamente no seu funcionamento.

Já o indicador da necessidade de capital de giro tem o objetivo de identificar quando o negócio precisa de capital para manter as portas abertas. Esses fundos podem ser obtidos tanto por meio de fontes externas quanto por intermédio de aportes internos.

4. Prazo médio de pagamento

Este é um fator que frequentemente não depende de uma decisão da empresa, mas sim da política de crédito de seus fornecedores. Por isso, o seu resultado reflete o prazo médio no qual os fornecedores de matérias-primas e serviços são pagos. O ideal é que o pagamento ocorra de forma mais lenta, desde que não haja atrasos e inadimplência.

Para encontrar esse total basta dividir o valor devido aos fornecedores pelo Custo da Mercadoria Vendida (CMV). Em seguida deve-se multiplicar o resultado encontrado por 360.

5. Prazo médio de recebimento

Esse KPI também é conhecido como prazo médio de cobrança e indica quanto tempo a empresa leva para receber o valor referente às vendas de mercadorias. A sua forma de cálculo é dividir o total de duplicatas a receber pelo valor de vendas realizadas a prazo e multiplicar o resultado por 360.

Em geral, quanto menor for esse prazo, melhor será para a saúde financeira do negócio. Contudo, esse dado não deve ser levado em consideração isoladamente. É recomendado consultar o giro de estoque e o prazo de pagamento dos fornecedores para traçar um cenário completo.

Esse indicador é particularmente importante para o desenvolvimento de uma política de crédito adequada para manter o fluxo constante de receitas.

6. Índice de endividamento

O estudo deste indicador busca identificar qual é a dependência da empresa do capital de terceiros, como empréstimos. A falta de informação sobre esse índice representa um risco grave para o equilíbrio financeiro, pois resulta em mais endividamento para pagar dívidas já vencidas.

Se a necessidade de buscar linhas de crédito for inevitável, é melhor que sejam dívidas de longo prazo para que o empreendimento tenha tempo suficiente para obter os recursos até o momento da quitação.

Vimos que o papel de um KPI é representar a realidade na qual a empresa se encontra e ajudar a estimar o seu comportamento no futuro. Por isso, não basta somente garantir ênfase no lucro. É fundamental considerar as tendências de mercado, as inovações tecnológicas e perfil do consumidor que afetam a organização de forma significativa.

Assim, se você precisa de ajuda para levar a sua empresa para o próximo patamar em termos de tecnologia e integração, conte conosco. Para continuar sempre por dentro das novidades e crescer cada vez mais com sua empresa, siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook , Linkedin) para acompanhar todo o nosso conteúdo!