Financeiro

Quais os principais fatores que impactam no valor do frete?

frete não tem um valor fixo. Por isso, mensurar o seu valor adequado é essencial para que a empresa tome as melhores decisões. Afinal, caso não seja calculado corretamente, pode haver o risco de sofrer prejuízos financeiros, como a perda de uma venda por desistência do cliente pelo custo do transporte do produto ser muito elevado.

Existem diversas variáveis que devem ser avaliadas para chegar ao preço ideal do serviço, e é muito importante que você entenda esses diferentes componentes que interferem de forma direta na formação do valor. Para que conheça quais são esses fatores, preparamos este texto. Confira!

Distância entre o endereço de saída e destino

É um ponto fundamental nos valores do frete, já que quanto maior a quilometragem, maior serão as despesas com combustível, manutenção e conservação do veículo, resultando em um preço final mais alto. Ou seja, a distância entre o ponto de envio e o ponto de chegada das cargas determina uma boa parte dos custos com esse serviço.

Cubagem e peso

A cubagem se refere ao tamanho do que será transportado, isto é, o espaço que a mercadoria ocupará no veículo. Uma mercadoria mais volumosa gerará mais custos do que uma menor. Já o peso da carga influencia no desgaste dos pneus e consumo de combustível do veículo. Por este motivo, diversas transportadoras cobram o frete por quilo movimentado.

No entanto, existe também a alternativa de que o valor seja calculado por meio de uma comparação entre o peso bruto e o cubado, que é a multiplicação das dimensões da embalagem por um fator determinado, na qual é utilizada a maior delas para fazer o cálculo.

O objetivo é fazer com que a cobrança seja mais justa, considerando que, mesmo que a mercadoria seja leve, se for volumosa ocupará mais espaço no veículo, impossibilitando que mais produtos sejam inseridos na carga.

Preço da carga contida na nota fiscal

O preço de um produto, que está estipulado na nota fiscal que o acompanha, é um fator importante na constituição do valor do frete. Afinal, saber quando custa cada item é uma maneira de administrar os riscos do transporte, tendo em vista que é preciso realizar um seguro de carga. Além disso, vários impostos e taxas são mensurados com base no preço do produto. Por isso, quanto mais cara for uma mercadoria, maior será o valor para o seu transporte.

Aspectos do destinatário

O frete pode ficar um pouco mais alto se o destino da carga tiver atributos diferenciados, por exemplo, ser de difícil acesso, área de risco etc. Sendo assim, quanto maior o nível de periculosidade ou dificuldade da região, maior será o preço do transporte.

Dependendo do caso, é possível existir a cobrança de uma taxa extra para a movimentação de cargas, chamada Taxa Emex, que está ligada à gestão de risco na logística. Entre os estados que a usam, está o Rio de Janeiro, devido ao aumento considerável de assaltos e roubos de cargas.

Características da mercadoria

Mercadorias consideradas valiosas, por exemplo eletrônicos e jóias, fazem com que o valor do frete aumente. O mesmo ocorre com produtos perecíveis, frágeis ou que tenham algumas especificidades que interfiram no cuidado de como serão transportadas. Objetos delicados com embalagens especiais e mais reforçadas geram mais gastos.

Já as cargas perecíveis devem ser transportadas rapidamente, envolvidas por uma embalagem térmica e em veículo próprio. Também é necessário considerar que não é seguro enviar medicamentos, alimentos ou cargas vivas junto com outras mercadorias. Por este motivo, nessa situação, a cobrança do frete costuma ser mais alta.

Prazo de entrega

O prazo médio de entrega, que geralmente deve ser definido pela empresa e depende muito do seu fluxo de produção, já está incluído no preço do frete. No entanto, se o cliente precisa de um envio mais rápido ou prioritário, isso torna o custo mais elevado.

Impostos e tarifas

Custos dispendidos para cumprir com as obrigações legais por meio dos pagamentos de pedágios, impostos, taxas e outras tarifas pesam bastante nos valores de frete. Veja algumas das principais cobranças obrigatórios que incidem sobre o transporte:

  • taxa de gerenciamento de risco (GRIS): se trata do percentual cobrado sobre o preço da nota fiscal com a finalidade de cobrir os custos referentes à gestão de riscos;
  • pedágios: seu preço varia conforme o trajeto que será percorrido para cada remessa. Quando a carga é fragmentada, é possível dividir esse custo entre os produtos que são encaminhados;
  • taxa de coleta e entrega: essa cobrança cobre despesas com deslocamento e demais atividades que ocorrem nos centros de distribuição;
  • imposto sobre serviços de qualquer natureza (ISS): trata-se de um imposto municipal cobrado pela prestação de serviços, seja ela realizada por companhias ou profissionais autônomos;
  • taxa de restrição ao trânsito (TRT): para locais que possuem algum tipo de restrição relativa à circulação de veículos pesados ou atividades de carregamento ou descarga de produtos, é cobrado uma quantia adicional pelo transporte;
  • imposto sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS): é cobrado para todas as operações referentes ao transporte intermunicipal e interestadual.

Perdas com cargas

Os riscos de acidentes ou intercorrências diversas às quais as cargas estão submetidas, como roubos e furtos, também compõem parte dos custos de transporte. Várias transportadoras têm seguro para cobrir os produtos ou promovem o transporte em comboio para oferecer mais segurança. Ambas as medidas impactam no preço do frete, mas é melhor ter um transporte seguro do que correr risco de ter um prejuízo relevante com produtos perdidos.

Logística reversa e reenvio

Muitas vezes, infortúnios podem interferir no êxito de uma remessa, resultando em um custo com frete superior ao que foi projetado. Isso pode ocorrer em situações de dificuldade de entrega para o consumidor final, devido a restrições de horário, como no caso de a carga ter que ficar parada em algum local ou quando o motorista tiver que esperar mais tempo.

O mesmo pode acontecer em casos de reenvio, quando o produto não pode ser entregue na primeira tentativa. Também é necessário considerar os gastos com logística reversa, que incidem quando é necessário recolher uma mercadoria ou componentes dela, ou fazer trocas e devoluções.

É importante analisar os fatores que contribuem para o cálculo do frete, pelo fato de ser um dos maiores gastos logísticos.  Por este motivo, você deve acompanhar de perto esse custo e evitar que prejuízos possam atrapalhar a lucratividade do negócio.

Gostou deste conteúdo? Aproveite sua visita para ler o texto “KPI: 6 indicadores fundamentais para a análise financeira da empresa” e conheça melhor o tema!