Como utilizar o Big Data nas operações logísticas?

O Big Data consiste na análise e na compreensão de grandes volumes de dados em muitas variedades. Para tanto, é preciso utilizar soluções próprias da ferramenta, que possibilitam aos profissionais de TI trabalharem com conteúdos não estruturais em grande velocidade.

A aplicação desse recurso na logística pode trazer diversas vantagens no que se refere à mineração de informações. Isso se torna possível devido à quantidade abundante de dados que são gerados pelo fluxo de produtos e prestações de serviços.

Por meio dele, é possível reduzir os custos, aumentar a produtividade, tomar decisões acertadas e implantar ações que são cruciais para a atuação da empresa. Quer entender como o Big Data pode ser aplicado no negócio? Continue a leitura!

Capacidade de prever as procuras sazonais

Uma das principais finalidades do gerenciamento de estoque é conseguir equilibrar as quantidades disponíveis com a busca dos clientes, ao mesmo tempo em que as mercadorias são mantidas nos níveis mais baixos possíveis. Assim, a empresa adquire eficiência e diminui seus gastos.

O objetivo é estocar uma pequena quantidade, mas que seja suficiente para assegurar o atendimento da demanda, evitando faltas ou excessos. O controle operacional por meio do Big Data possibilita controlar fluxos mais críticos, como a obrigação de reposição e a perda de produtos, além de apontar quais itens têm maior procura em certos momentos do ano.

Assim, torna-se viável elevar a previsibilidade a respeito de aumentos sazonais e da necessidade de guardar quantias maiores. O principal benefício de tal prática é a probabilidade de centros de distribuição se prevenirem para o crescimento da movimentação e impedirem a falta de mercadorias no estoque.

Idealização das redes de distribuição

É possível alcançar vantagens na projeção que envolve esse setor. Com base nos dados relacionados a todas as entregas que foram feitas e na localização dos clientes, você pode identificar padrões de procura e as melhores redes para atender ao fluxo de envios.

Assim, o gestor utiliza o entendimento gerado para:

  • projetar novas redes de distribuição;
  • implantar ações que colaborem com o aumento da rapidez dos serviços;
  • diminuir custos operacionais;
  • encontrar meios de conciliar as metas organizacionais com o atendimento dos desejos dos consumidores.

Aumento da eficácia operacional

O Big Data possibilita avaliar uma grande quantidade de dados. Isso viabiliza a geração de conhecimento a respeito dos mais variados aspectos da operação.

Dessa forma, é possível atingir a eficácia operacional, à medida que o gestor adquire uma base sólida que auxilia no aprimoramento dos processos e da execução. Como consequência, há um aumento da qualidade e a diminuição de falhas ou retrabalhos, entre outras vantagens que garantem um trabalho mais efetivo.

Aperfeiçoamento das entregas last mile e redução de custos

As entregas last mile (última milha) representam grandes desafios ao gerenciamento e à gestão. O problema se encontra em duas questões cruciais: viabilidade do transporte e gastos para levar o produto até o consumidor final.

Contudo, é possível aproveitar a implementação do Big Data na logística e utilizar a força desse recurso para compreender os padrões de entrega nas regiões, promovendo uma maior eficácia da frota.

Isso se torna ainda mais importante quando os dados gerados são reunidos por intermédio de um sistema de roteirização. São concedidas informações relevantes para o consumo de combustível e a efetividade da distribuição.

Então, o gestor consegue entender a necessidade de diferenciar a frota e melhorar a criação dos percursos, por exemplo, sempre focando na qualidade e na satisfação dos clientes.

O cruzamento de informações dos processos permite o alcance de uma visão sobre as atividades e os gargalos que devem ser corrigidos, as chances de melhoria e o foco no ganho de eficiência. Com todas as alterações que podem ser aplicadas, é seguro dizer que se torna viável ter uma logística diligente e com menos custos operacionais.

Obtenção dos melhores dados sobre a cadeia de abastecimento

No passado, muitas companhias não atentavam ao gerenciamento de fornecedores e transportadoras — que não acompanhavam o atacadista que, por sua vez, também não compreendia o funcionamento das movimentações varejistas. Atualmente, a logística cresceu e está cada vez mais em evidência.

É por meio dessa administração da cadeia de abastecimento que se atinge a integração de todos os membros envolvidos e são determinadas verdadeiras relações de parceria. Dessa forma, todos adquirem uma visão mais ampla em relação ao fluxo de ponta a ponta, com dados fornecidos pela equipe: a partir do fornecedor primário até a transportadora que faz a entrega ao cliente final.

A exploração das informações por intermédio do Big Data possibilita que mais conteúdos sejam divididos. Isso abre um espaço ainda maior para possibilidades de avaliações voltadas ao aperfeiçoamento dos processos e ao repasse de dados relevantes sobre os pedidos dos clientes.

Caso aconteça algum problema capaz de ocasionar atrasos ao fornecedor e influenciar a entrega, por exemplo, o cliente atingido poderá receber essas atualizações e ter uma expectativa real. Mesmo ocorrendo um transtorno, a empresa consegue repassar a ideia de transparência, gerando uma confiabilidade.

Aperfeiçoamento da experiência do consumidor

A experiência que o consumidor adquire com a companhia pode ser um fator decisivo para o êxito do negócio no mercado. Buscar a diferenciação no atendimento e satisfazer as necessidades dos clientes são cuidados que representam a fidelização à marca e, provavelmente, a captação de um novo público.

Lembre-se de que a indicação positiva de quem já foi cliente pode motivar outras pessoas a conhecerem os produtos e serviços oferecidos. Por todos esses motivos, a aplicação do Big data na logística propicia um atendimento de qualidade, acima dos oferecidos pela concorrência.

Além disso, as informações podem ser compartilhadas e usadas. Como resultado, há uma contribuição significativa para a melhoria dos processos empresariais e o aumento da satisfação dos clientes.

São visíveis as vantagens geradas pelo Big Data às empresas. Elas vão desde pontos operacionais até tomadas de decisões mais corretas, auxiliando na melhoria da gestão e no crescimento do negócio em geral, além de trazer resultados financeiros satisfatórios.

E então, gostou deste conteúdo? Que tal aproveitar sua visita ao nosso blog para conferir quais são os 6 principais desafios da logística brasileira? Boa leitura!