Otimize a relação com seus fornecedores e qualifique suas operações de Logística Inbound, com organização e agilidade a partir da automatização de processos relacionados com recebimento de carga.

Acompanhe indicadores de desempenho logístico e eleve o nível de suas operações de Logística Outbound com a integração de processos e automatização da troca de informações para maior visibilidade e eficiência de sua gestão.

Obtenha dados de suas vendas no varejo e de distribuidores para aumentar vendas, reduzir rupturas e perdas com informações compartilhadas para estruturar seus processos e auxiliar seu gerenciamento.

Aumente a sua demanda de transportes e seja encontrado por Embarcadores de todo o país.

Facilite a comunicação entre sistemas de gestão e diferentes bancos por meio da transferência de arquivos de forma ágil, íntegra e segura.

    Um sistema capaz de atender os processos de negócios de seus clientes empresariais sem necessitar o investimento em desenvolvimento de sistemas internos.

    O PagPlan é uma solução que permite o pagamento das principais contas de concessionárias (como água, luz, gás, etc.) e DETRANs: utilizando o cartão de crédito como meio de pagamento.

      O EDI Business é uma solução altamente customizável para gestão operacional e estratégica de arquivos.

      O EDI Enterprise oferece uma infinidade de recursos de intercâmbio de informações baseado em um conjunto de regras de envio e recepção, múltiplos protocolos de comunicação, além de topologia altamente flexível.

      Inovação e tecnologia aplicados a emissão, recebimento e armazenamento de documentos fiscais eletrônicos.

      Tecnologia para conectar transportadoras e embarcadores com inteligência e compliance.

      Blog

      Logística Outbound

      Descubra o que são e como funcionam as tabelas de frete!

      8 meses atrás - por:

      Para toda empresa que comercializa produtos é fundamental acompanhar a evolução do frete e saber como funciona o seu cálculo. O frete ajuda a precificar corretamente as mercadorias e a traçar estratégias para captar e fidelizar clientes.

      Como se sabe, os valores cobrados pelo transporte podem interferir decisivamente na opção de um cliente efetuar ou não sua compra. Por esse motivo, o gestor deve estar familiarizado com a tabela de frete para usá-la em seu planejamento estratégico. Acompanhe o artigo para saber mais sobre o assunto!

      O que é a tabela de frete

      A tabela de frete se trata de uma ferramenta que estabelece os valores mínimo para os transportes realizados em território nacional, desenvolvida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

      O cálculo é direcionado por meio da Resolução 5.820/2018, que explica todos os custos que foram levados em consideração para a definição dos valores. Além disso, o cálculo dos valores mínimo a serem cobrados na tabela de frete abrangem os custos fixos e alguns dados variáveis, por exemplo, distância percorrida para a entrega, quantidade de eixos do veículo e demais.

      Demais taxas, como o pedágio, não estão inseridas na constituição do custo mínimo, o que abre espaço para que as transportadoras possam construir seus preços e se manterem competitivas em um mercado tão concorrido.

      O preço de frete: o que é e qual a sua importância

      O preço de frete é o valor cobrado na efetivação do serviço de transporte de mercadorias do ponto de venda ou do armazém até a casa do consumidor final e também a coleta dos produtos. Ou seja, o preço de frete envolve três operações que são coleta, transporte e entrega ao destinatário.

      O preço de frete deve ser corretamente calculado para que a empresa remunere com o serviço de transporte rodoviário de carga. Os consumidores estão mais esclarecidos e, certamente, não perderão a oportunidade de aproveitar um frete mais barato ou mesmo a sua isenção.

      As variáveis usadas para calcular o frete corretamente

      O cálculo de frete ainda é muito complicado, daí a importância de o gestor ter à sua disposição tabelas de frete atualizadas que permitam a precificação mais equilibrada de suas mercadorias, respeitando uma margem de lucro satisfatória e não onerando tanto o consumidor.

      Muitas empresas costumam usar os serviços de mais de uma transportadora para efetuar suas entregas. As transportadoras, por sua vez, consideram diferentes variáveis para estipular um preço de frete.

      Essas variáveis incluem:

      • tipo de veículo que conduzirá a carga;
      • dimensões e peso da carga (faixas de peso e tamanho limite);
      • atendimento a praças variadas (variabilidade de distâncias e acessibilidade do local);
      • prazos de entrega;
      • taxas e impostos a pagar;
      • riscos envolvidos e preços dos seguros;
      • possibilidades de retorno sem carga;
      • preço do combustível;
      • tecnologia sofisticada aplicada ao veículo.

      Aprenda a montar a tabela de frete

      Após ter todas as informações relevantes em mãos, é preciso seguir alguns passo para elaborar a tabela de fretes.

      Calcular o frete peso

      Trata-se de um valor delimitado pela relação entre o peso bruto de uma carga e seu peso cubado. O maior valor encontrado define a cobrança. Isso significa que se os itens ocupam um espaço maior que seus pesos, o volume, é considerado para se chegar a um resultado e vice e versa. O cálculo do peso cubado é feito assim: peso cubado em kg = (comprimento) x (largura) x (altura) em m³ X 300 em kg/m³ (fator de cubagem utilizada de maneira usual que caracteriza 1 metro cúbico).

      Estabelecer o frete valor

      Definido com base no preço do produto em nota fiscal, é significativo no caso do transporte de mercadorias de preços mais elevados. A fórmula usada é: frete valor = (valor da carga em nota) x (percentual frete valor de acordo com a distância percorrida).

      Adicionar tarifas fixas ou extras.

      Após, o transportador pode acrescentar taxas especiais praticadas, como: taxa de despacho, taxa de dificuldade na entrega (TDE), taxa de restrição do trânsito (TRT), além dos impostos e pedágios. A soma desses valores e percentuais compõem o preço final que será cobrado e as variáveis formam a tabela de frete.

      A terceirização do processo de entrega e os softwares de gestão

      Devido às complicações logísticas que envolvem o frete, muitos gestores preferem terceirizar os serviços de transporte de mercadorias. Assim, além de reduzirem custos (principalmente com possíveis erros de cálculo e com monitoramento), os gestores ficam mais tranquilos em relação ao atendimento ao cliente, com o cumprimento exato dos prazos de entrega.

      uso de softwares também ajuda o gestor a desenvolver um processo mais cuidadoso de transporte e entrega, contemplando todas as variáveis possíveis e definindo as melhores rotas.

      Os próprios softwares podem oferecer tabelas de frete atualizadas que vão ajudar a empresa a otimizar os preços de suas mercadorias e serviços.

      O cálculo do preço do frete: exemplos práticos usando tabelas de frete

      Para realizar o cálculo do frete, é necessário avaliar as variáveis já citadas. Primeiramente, é preciso considerar o tipo de transporte que será usado. Considere ainda o período de utilização do meio de transporte (horas/dias ao mês), o impacto das despesas sobre a receita da empresa, o percentual de tributos que serão pagos, a distância entre o ponto de origem e o de destino.

      Tendo em mãos as tabelas de frete atualizadas, o gestor terá respaldo para fazer um cálculo equilibrado, considerando o valor da diária e a distância percorrida.

      Dados para os exemplos

      Veja alguns exemplos a partir dos seguintes dados:

      • tipo de veículo: caminhão de porte médio;
      • tempo de trabalho por mês: 24 dias;
      • custo mensal fixo: R$ 4.000,00;
      • valor da diária: R$ 166,70 (4.000 / 24);
      • custo variável por km percorrido: R$ 0,670;
      • percentual das despesas administrativas: 10%;
      • percentual dos tributos e taxas: 12%;
      • margem de lucro: 15%.

      Cálculo do markup

      Para facilitar, podem-se agrupar todos os valores percentuais em uma única variável, a saber, o markup, um índice usado na precificação de produtos e serviços.

      Para calcular o markup, usa-se a fórmula: 1 / [1 – (percentual de tributos + percentual das despesas administrativas + percentual da margem de lucro).

      No caso acima, o markup será igual a 1 / [1 – (12% + 10% + 15%)], ou seja:

      • Markup =1 / [1 – 37%];
      • Markup = 1 / 0,63;
      • Markup = 1,587.

      Exemplo 1

      Um serviço de transporte de carga usará 2 caminhões durante 6 dias e eles percorrerão 5.500 km. Qual será o preço do frete?

      Preço do frete = [quantidade de veículos usados x valor da diária x período de duração + (quilômetro percorrido x custo variável)] x markup.

      Preço do frete = [2 x 166,70 x 6 + (5.500 x 0,670)] x 2,702.

      Preço do frete = [2.000 + 3.685] x 2,702.

      Preço do frete = 5.685 x 2,702.

      Preço do frete = R$ 15.360, 87.

      Exemplo 2

      A cidade de origem Nova Esperança está distante 120 km da cidade de destino, Belos Montes. Um caminhão leva 2 dias para ir a Belos Montes e retornar, totalizando 240 km. A capacidade líquida do veículo é de 15 toneladas e os custos totais dessa viagem correspondem a R$ 250,00.

      Como cobrar o frete?

      Preço do frete = [quantidade de veículos usados x valor da diária x período de duração + (quilômetro percorrido x custo variável)] x markup.

      Mas será adicionada uma nova variável: a dos custos totais da viagem (R$ 250,00). Assim:

      Preço do frete = R$ 2.010,80 por viagem, ou seja, aproximadamente R$ 134,05 por tonelada (2.010, 80 / 15).

      Nesse caso, a margem de lucro é de R$ 301, 60 (15% x 2.010,80).

      Mais algumas considerações sobre as tabelas de frete

      É importante sempre consultar as tabelas de frete relacionadas ao estado onde fica a empresa e os outros estados (estados de destino), considerando as diferentes distâncias e o peso da carga.

      Outro fator que interfere no preço do frete refere-se ao tipo de carga, se ela é fracionada ou fechada.

      Cargas fechadas variam especialmente conforme o tipo de veículo, a rota percorrida e as taxas adicionais (pedágio, produtos especiais, ajudantes, necessidade de pernoite e outras coisas).

      O frete de cargas fechadas considera o peso, a distância, o volume (em metros cúbicos), o preço da mercadoria. A região de destino define o preço do frete e a cobrança pode ser realizada em faixas (10 a 30 kg; 30 a 50 kg; 50 a 70 kg e assim por diante), porém, a cobrança pode ser também por valor unitário (1 kg).

      Consequências de não contar com uma tabela de frete

      Deixa de contar com uma tabela de frete ou elaborá-la de forma mal estruturada, pode comprometer a capacidade da transportadora de executar o serviço até o final e realizar uma entrega de qualidade. Além de ser prejudicial para a execução do trabalho no dia a dia, também vai impactar na satisfação dos clientes.

      A cobrança incorreta do valor também pode impossibilitar na aquisição dos lucros necessários para arcar com as despesas dos negócios, gerando prejuízos com o decorrer do tempo.

      Como pode perceber, a tabela de frete é indispensável para o bom funcionamento das operações da transportadora, já que servem como norte a respeito dos preços cobrados pelo mercado, proporcionando competitividade e acertos nas cotações e simulações de frete. Sendo assim, é importante estar atento aos aspectos que devem ser considerados ao elaborá-la de forma eficiente.

      Conseguiu esclarecer suas dúvidas? Então, aproveite a sua visita no blog para ler o artigo “Simulação de frete: por que fazer e quais erros ajuda a evitar” e entenda mais sobre o assunto!

      Por:
      eSales
      do autor

      Comentários sobre este post