Otimize a relação com seus fornecedores e qualifique suas operações de Logística Inbound, com organização e agilidade a partir da automatização de processos relacionados com recebimento de carga.

Acompanhe indicadores de desempenho logístico e eleve o nível de suas operações de Logística Outbound com a integração de processos e automatização da troca de informações para maior visibilidade e eficiência de sua gestão.

Obtenha dados de suas vendas no varejo e de distribuidores para aumentar vendas, reduzir rupturas e perdas com informações compartilhadas para estruturar seus processos e auxiliar seu gerenciamento.

Aumente a sua demanda de transportes e seja encontrado por Embarcadores de todo o país.

Facilite a comunicação entre sistemas de gestão e diferentes bancos por meio da transferência de arquivos de forma ágil, íntegra e segura.

    Um sistema capaz de atender os processos de negócios de seus clientes empresariais sem necessitar o investimento em desenvolvimento de sistemas internos.

    O PagPlan é uma solução que permite o pagamento das principais contas de concessionárias (como água, luz, gás, etc.) e DETRANs: utilizando o cartão de crédito como meio de pagamento.

      O EDI Business é uma solução altamente customizável para gestão operacional e estratégica de arquivos.

      O EDI Enterprise oferece uma infinidade de recursos de intercâmbio de informações baseado em um conjunto de regras de envio e recepção, múltiplos protocolos de comunicação, além de topologia altamente flexível.

      Inovação e tecnologia aplicados a emissão, recebimento e armazenamento de documentos fiscais eletrônicos.

      Tecnologia para conectar transportadoras e embarcadores com inteligência e compliance.

      Blog

      Supply Chain

      Gestão de cadeia de suprimentos integrada à TI: quais os benefícios?

      2 anos atrás - por:

      cadeia de suprimentos

      A cadeia de suprimentos de toda empresa precisa ser gerenciada com recursos avançados que garantam que todas as operações sejam desenvolvidas com eficiência e segurança. Erros podem elevar muito os custos logísticos. E, com isso, acarretam consequências indesejáveis, como atrasos na entrega, devoluções e perda de clientes.

      Para que todas as etapas aconteçam conforme o esperado, no entanto, é necessário um planejamento bem-estruturado e estratégico, onde os desafios sejam enfrentados de maneira eficiente, harmônica e integrada.


      Para ajudar a entender melhor o funcionamento da cadeia de suprimentos, neste artigo, vamos falar sobre o tema e abordar pontos relevantes. Que tal integrar os recursos da tecnologia da informação à gestão de cadeia de suprimentos? Veja como isso pode oferecer benefícios à sua empresa!

      A importância da gestão de cadeia de suprimentos

      Uma gestão eficiente da cadeia de suprimentos é fundamental para manter um bom fluxo nas atividades da empresa. A integração dos processos evita que gargalos sejam formados, o que possibilita a realização de um trabalho de sucesso.

      Outro ponto importante é a redução de custos, uma vez que, com uma melhor comunicação entre os setores, a tendência é que os índices de erros sejam minimizados e o armazenamento seja melhorado.

      Uma gestão bem executada da cadeia de suprimentos resulta em melhoria na qualidade do produto final e, consequentemente, na satisfação dos clientes. Quanto maior a otimização, melhores serão os retornos alcançados e o reconhecimento da empresa em seu mercado de atuação.

      Os desafios na gestão de cadeia de suprimentos

      Uma das finalidades de uma boa gestão de cadeia de suprimentos é agregar valor ao negócio.

      A cadeia de suprimentos é composta de etapas e operações diversas que precisam estar bem harmonizadas: aquisição de insumos, transporte, armazenamento, ciclo de pedidos, expedição, entrega etc.

      Dois dos maiores desafios são o transporte de produtos e as operações de distribuição, pois existem muitos problemas envolvendo os modais, principalmente o mais utilizado, que é o rodoviário, como:

      • infraestrutura das estradas;
      • distâncias que separam o fornecedor do produtor, o produtor do distribuidor, o distribuidor dos pontos de vendas, e estes do cliente final;
      • alto índice de criminalidade;
      • custos de manutenção e combustível do veículo; 
      • atrasos na entrega.

      É fundamental traçar rotas bem delineadas que contemplem essas dificuldades e encontrem formas de superá-las.

      Outro problema se refere aos riscos e custos de armazenamento e estoques. A tendência proposta pelo mercado é redução de estoques, mas enquanto essa prática não se generaliza, muitas empresas ainda sofrem com a necessidade de grandes espaços para estocagem e as perdas advindas de produtos vencidos, danificados ou extraviados.

      Outros desafios incluem o relacionamento com os fornecedores, a comunicação entre os setores internos (principalmente entre o setor de vendas, que controla os pedidos, e o de estoque), compras mal programadas de insumos e outras coisas.

      As ferramentas de TI ajudam a modificar esse cenário, agilizando a elaboração dos planos de reposição e favorecendo as compras em tempo hábil e por melhores preços, além de influenciar positivamente todas as outras operações da cadeia.

      Os benefícios da integração da TI à gestão de cadeia de suprimentos

      A integração da TI à gestão de cadeia de suprimentos traz importantes benefícios para a empresa. Confira, a seguir, alguns deles.

      Redução de estoques

      A redução de estoques é um efeito do maior controle sobre as compras dos insumos (matéria-prima, produtos acabados ou semiacabados).

      Um software de gestão de estoque permite que o ponto de pedido seja calculado com precisão. O próprio sistema determina o estoque mínimo, baseando-se na demanda e no tempo de venda de cada categoria de produto estocada.

      Estoque mínimo é a menor quantidade que um item pode atingir no estoque sem prejudicar o atendimento à demanda. Alcançada essa quantidade, pode ser feito novo pedido de reposição.

      Com esse controle automatizado, o gestor evita compras desnecessárias e lotação do armazém com estoque acima do requerido pelo negócio. Por outro lado, a tecnologia de informação também evita a carência de produtos estocados, que implica em perda de vendas.

      Inventários precisos

      TI integrada à gestão de cadeia de suprimentos contribui para que sejam efetuados inventários mais precisos.

      Com menos itens estocados, o inventário certamente se torna bem mais fácil. Além disso, quando se faz uso de softwares para realizar essa operação, o cálculo é mais preciso, sendo possível fazer uma comparação entre a quantidade de itens registrados no sistema operacional (considerando as entradas e as saídas dos produtos) e a quantidade real em estoque.

      Assim, uma operação que, sem recursos de TI, levaria muito tempo para ser feita e poderia ser alvo de muitos erros pode ser realizada em um período mais curto e com margem de falha bastante reduzida.

      Custos conhecidos

      O gestor poderá usar um ERP que integra todos os setores da empresa, inclusive o de compras, de vendas, financeiro e de estoque. Manter o gerenciamento automatizado sobre o estoque e as compras favorece o fluxo de caixa na medida em que reduz custos e os torna mais conhecidos.

      Os próprios custos variáveis, ligados à produção e às vendas, muito comuns quando se trata de cadeia de suprimentos, acabam ficando mais previsíveis e fáceis de ser controlados.

      Tudo se torna possível graças à maior integração entre os diferentes departamentos, que usufruirão de um fluxo de informações ágil, eficiente e seguro, transformando processos geralmente mais dispendiosos em econômicos.

      Com a TI, a gestão de cadeia de suprimentos poderá, inclusive, aplicar princípios da produção enxuta, cortando custos supérfluos e mantendo somente as atividades que realmente agregam valor ao trabalho.

      Flexibilidade

      Outro importante benefício que a TI integrada oferece é mais flexibilidade em todos os aspectos da gestão de cadeia de suprimentos. Por exemplo, será possível responder com mais rapidez a eventos externos, como ações das empresas concorrentes e mudanças na demanda do cliente.

      Uma empresa pode reunir muitas informações valiosas ao longo de sua cadeia de suprimentos, o que possibilita que fique ciente, com antecedência, do que outras empresas estão planejando fazer (como lançamento de novos produtos, alteração no modal ou expansão do mercado com o auxílio de filiais).

      Conhecendo o que está por vir, a empresa poderá tomar diferentes ações, como se antecipar às concorrentes, inovando antes delas, ou mesmo efetuar parcerias visando a manter seu potencial competitivo e expandir o negócio.

      Por exemplo, uma empresa que produz, ou mesmo que revende, poderá tornar-se um fornecedor de peças para a empresa que pretende lançar um novo produto, alavancando sua cadeia de suprimentos integrada. Isso porque expande seu negócio e garante ao novo cliente um acompanhamento integral do projeto, desde a fase inicial até o lançamento.

      Clientes garantidos e margens de lucro maiores

      Uma empresa precisa de uma gestão de cadeia de suprimentos eficiente para garantir um bom atendimento ao cliente (seja na hora de realizar o pedido, seja na hora da entrega) ao mesmo tempo que alcança suas metas e conquista lucros.

      Quando os clientes se satisfazem com os serviços de Supply Chain, a probabilidade é que continuem realizando compras na empresa (fidelização). Além disso, essa empresa terá mais chances de captar novos clientes para seus produtos ou serviços.

      Lembre-se, ainda, de que a redução de custos e a flexibilidade também contribuem para ampliar a margem de lucro do negócio.

      As maneiras de se fazer uma boa gestão de cadeia de suprimentos

      Fazer uma boa gestão de cadeia de suprimentos exige estratégia, logística e consistência no planejamento. Confira, a seguir, alguns pontos fundamentais para ser bem-sucedido.

      Controle sobre os fornecedores

      O controle total dos fornecedores está relacionado com um início correto de todos os demais processos. Por isso, é indispensável que o gestor acompanhe de perto essa etapa, a fim de obter os melhores fornecedores tanto em relação ao custo-benefício quanto ao cumprimento dos prazos com qualidade.

      Um dica que pode ser adotada é optar por empresas que tenham certificado de qualidade e atuação consolidada no mercado.

      Processos padronizados

      A padronização dos processos garante maior agilidade na execução das etapas, aumento na produtividade, redução de desperdícios e estabelecimento de um alto padrão de qualidade. Com isso, é possível não somente gerenciar as atividades com clareza, mas também mensurar o andamento do que foi planejado e corrigir pontos que estejam desalinhados.

      Comunicação otimizada

      A comunicação entre os setores que compõem a cadeia de suprimentos precisa ser clara, eficiente e organizada, uma vez que, se alguma ponta ficar solta, todo o restante das atividades será comprometido.

      Para atingir esse patamar, é fundamental que toda a equipe esteja alinhada e com os mesmos objetivos. O ideal é que o responsável pelos departamentos tenha uma relação próxima com os membros de sua equipe, de modo que cada profissional entenda com clareza a importância do seu papel para o sucesso de toda a equipe.

      Foco no cliente

      A satisfação do cliente é uma diretriz importante para a consolidação e o crescimento da empresa no mercado. Sendo assim, é essencial mensurar a qualidade do trabalho apresentado e a receptividade dos clientes.

      O transporte da mercadoria é um ponto que merece atenção especial, e, por isso, é indicado realizar esse procedimento com agilidade. O sucesso na entrega é um ponto-chave para fidelização dos clientes.

      Recursos para fazer a integração do TI à gestão de cadeia de suprimentos

      A integração de TI à gestão de cadeia de suprimentos é uma tendência no mercado. Entre os recursos de TI disponíveis, estão:

      • softwares de gestão (ERPs completos ou em módulos, aplicativos para um setor específico, soluções na nuvem etc.);
      • WMS (sistema de gerenciamento de armazéns);
      • TMS (sistema de gerenciamento de transporte);
      • voice-picking (dispositivos eletrônicos que permitem aos profissionais responsáveis pela separação das mercadorias receber orientações remotas);
      • equipamentos diversos (como robôs e máquinas que organizam o armazém, esteiras motorizadas, roteirizadores, rastreadores, sistemas de monitoramento integrados ao veículo, entre outros).

      E você: o que pensa sobre a integração da TI à gestão de cadeia de suprimentos? Deseja receber mais informações sobre Supply Chain? Confira outro artigo do nosso blog e informe-se sobre a importância de uma logística de distribuição para a sua empresa.

      Por:
      eSales
      do autor

      Comentários sobre este post